Últimos posts





Pesquisa



Publicidade



Olá pessoas. Tudo bem?
Creio que ficamos um tempo (e coloca tempo nisso) sem postar nada em relação a livros, modas e etc. A vida não dá aqueles 20 minutos de descanso, e quando você consegue um tempo para respirar, parece que não sabemos aproveitar de forma economicamente correta... Resumindo, sem tempo, sem leitura, sem resenha de livro.
Porém caros leitores de plantão, estou aqui novamente para dar aquela dica legal de leitura. Então pega o seu caderninho de “livros que tenho que ler” e anote essa dica.

Antes de qualquer coisa, para aqueles que esqueceram quem eu era, vamos a apresentação. Meu nome é Amanda, sou amiga, quer dizer, melhor amiga da Izabely dona do blog. Que eu me recordo, adquirimos o amor a leitura ainda no ensino fundamental.. Oitava série, se não me engano. Meu livro daquele ano foi “Um amor para recordar”, no qual chorei na aula de Português ao terminar de ler. Desde então veio esse amor pela leitura. E cá estou eu sendo a pessoa que vai indicar livros legais e que com toda a certeza vocês vão amar assim como eu amei ler todos eles.

Vamos lá?

“Elizabeth está tentando seguir em frente. Depois da morte do marido e de passar um ano na casa da mãe, ela decide voltar ao seu antigo lar e enfrentar as lembranças de seu casamento feliz com Stevie. A dor da perda ainda a consome, as lagrimas ainda insistem em cair, mas ela encontra em Emma, sua filha de 5 anos, a força de que precisa para recomeçar. Ao retornar à pequena Meadows Creek, Elizabeth chega a conclusão de que tudo, com exceção dela própria, continua igual: as fofocas, os velhos amigos, a estranha loja do Sr. Henson... Ou melhor, quase tudo. Seu novo vizinho, Tristan Cole, é o cara mais falado da cidade, porém todos o evitam. Grosseiro, solitário, com o olhar sempre agressivo e triste, ele parece fugir do seu passado. Com o tempo, Elizabeth descobre que, por trás do ser intratável, há um homem que foi devastado pela morte das pessoas que mais amava, e tenta se aproximar dele, mas Tristan faz de tudo para impedir que ela entre em sua vida. Em seu coração despedaçado, não há espaço para um novo começo. Ou há? ”


A primeira coisa que pensei quando comecei a ler o livro foi: Preciso arranjar alguma coisa para por o nome de Tristan. Ele definitivamente foi um personagem que teve seu espaço bem confortável dentro do meu coração. Você se coloca no lugar dele. Pensa como ele. E entende tudo o que ele deixa nas entrelinhas.
Uma respiração de cada vez.
É os personagens mais dizem. Eles estabelecem uma ligação com a dor do luto e a falta de ar para lidar com os problemas. Tudo pode ser resolvido se você saber primeiro controlar a sua respiração, que é através dela, que você toma as suas atitudes e suas escolhas.
Elizabeth deixa isso bem claro quando ela lembra de seu marido, Stevie... E posso dizer a vocês? São muito tristes as cenas. Literalmente você se coloca no lugar deles... Perder alguém que ama não é fácil, mas o mais difícil é tocar a vida sem aquela pessoa por perto. Não vou mentir que no começo, achei um pouco exagero essa coisa de dor de luto. Porém eu nunca perdi alguém de maneira trágica o que foi difícil de entender o que a Elizabeth sentia. Mas quando você chega na parte de Tristan, aquele no qual perdeu tudo, pensei “Faz sentido...”.
Então, a história vai girar em torno desses dois personagens (óbvio, Amanda), e o quanto os dois tem em comum. Dica: Não é só o luto. Quando o livro apresenta a primeira cena deles, eu senti de imediato o poder dos dois. O peso que cada um carregava e como agiam perante os acontecimentos do dia. Notei que cada pessoa tem um modo de criar sua proteção e quem somos nós para julgá-las? E o mais intrigante... É como as palavras são usadas nos momentos certos de forma natural.

“Sabe aquele lugar entre os sonhos e os pesadelos?
Aquele lugar onde o amanhã não chega e o passado não dói mais?
O lugar onde seu coração bate em sintonia com o meu?
Aquele lugar onde o tempo não existe e é mais fácil respirar?
Quero viver nesse lugar com você.
- T.C.”

“Os pequenos momentos de felicidade compensam a dor, e os cacos do coração podem ser colados novamente. Quer dizer, sempre fica uma cicatriz ou outra, e, às vezes, as memórias do passado te queimam por dentro, mas são uma lembrança de que você sobreviveu. É esse fogo que nos faz renascer. ”    

“As pessoas falam muito e se atrevem a dar conselhos sobre como superar o luto. Elas dizem que você não deve namorar por anos, que deve esperar o tempo passar, mas a verdade é que não existe tempo para o amor. A única coisa que importa para o amor é a batida do seu coração. Se você o ama, não deixe isso te atrapalhar. Apenas permita sentir novamente. ”

“Mas enquanto o ar continuar enchendo os meus pulmões, enquanto eu respirar vou lutar por você. Vou lutar por nós. ”

Eu não quero entrar em muitos detalhes, mas aconselho que vocês leiam com a mente e o coração tranquilos, pois é um livro que vai fazer com que se questione o quão profundo pode ser a dor de perder alguém que ama tanto... Para sempre. Sem ter um último beijo, um último abraço, e até mesmo um lembrete do quanto você ama esta pessoa. Não sabemos até que dia teremos esse alguém ao nosso lado, pois a vida pode ser tão indelicada com os nossos sentimentos que você sente que deveria ter feito muitas coisas, mas já é tarde demais.
Pessoas... Assim como eu, vocês irão notar as lições de vida que a trama carrega. E o melhor de tudo é que passam ter uma visão mais clara de como as pessoas são importantes em nossas vidas e como elas merecem a cada dia a demonstração do nosso afeto e amor. Estou aqui torcendo para que todos gostem da narrativa de Brittainy C. Cherry e de todos os personagens. Inclusive da pequena Emma e o cachorro Zeus! E para aqueles que já leram, deixe seu comentário.
Um mega abraço e até a próxima

Amanda Filassi 

COMENTÁRIOS
COMPARTILHE O POST!

Comente pelo Facebook!

Comente pelo Blog!